Thursday, October 28, 2010

O Fim


This is the end.
Este blog se encerrará em breve.
Já andava meio abandonado, dado que nas últimas semanas passei por Buenos Aires, Paris, e agora Denver. Business as usual.
Mas foi bom estar com vocês, brincar com vocês.
Acho que idade na internet se conta como a dos cães, vezes seis.
Então este blog tem uns 30 anos.
Eu tenho um pouco mais. Mas tenho um filho para cuidar e um trabalho que me exige um constante esforço mental. Too much para me esforçar mais ainda aqui.
Sempre disse que escrevia mais para lembrar a mim mesmo das coisas que importam neste mundo do que para angariar simpatias e leitores.
Em todo caso agradeço a companhia de todos os que passaram por aqui.
Se eu voltar será para contar piadas escatológicas ou para falar de flores.
Something wicked this way comes, diz o Jabor e a bruxa de MacBeth.
Sim, tempos obtusos virão.
Seguirei na minha vida e meu trabalho atrás das Lumiéres, das luzes que podem nos guiar fora dessa escuridão.
Haverá ainda um gran finale para este blog, voltarei para contar.
Mas por enquanto, ficamos por aqui.
This is the end.
Feliz dia das bruxas.
Oremos pelo futuro do país.

The End

Wednesday, October 06, 2010

#melhorespérolas Twitterdemocracia


"O Tiririca tem 10 dias para provar que é alfabetizado. Porra, o Lula teve 8 anos e a gente ainda tá na dúvida." - @tiodino

"É chato Tiririca ser eleito, mas burrice não é exclusividade de brasileiro. americanos elegeram Bush duas vezes." - @patriciaaa

"E daí que o Tiririca não sabe ler e escrever? Você também não sabe votar!" - @tiodino

"Em 2002 Enéas foi o mais votado. Morreu. Em 2006 Clodovil foi o mais votado. Morreu. Tiririca, vc já se confessou?" - @Dnl2Silva

"Em caso de disputa de pênaltis, o STF ficaria 2 dias deliberando se a paradinha é constitucional ou não." - @mrguavaman

"Esse país é uma sensacional piada - o título de eleitor NÃO SERVE PRA VOTAR." - @izzynobre

"Institutos de pesquisa tem 90% de chance de errar feio suas previsões com margem de erro de 10%." - @betosilva

"Na festa da democracia, só entra quem tiver o nome na lista." - @georgemacedo

"Nessa eleição, faça como o STF: justifique o voto e não decida porra nenhuma." - @rafinhabastos

"Resumindo a decisão do STF: título de eleitor vale menos que perfil no orkut, já que não tem foto." - @apedros

"Segundo o Ibope o mundo acaba em 2012 com margem de erro de 2 anos para mais ou para menos. Aposto para menos."

"Sobre os candidatos, o único voto que tenho certeza de que vou dar é o de silêncio." - @aperteoalt

"Tá reclamando do Sérgio Malandro em 24h de Fazenda? Imagine 4 anos de Tiririca?" - @samara7days

"Titulo de eleitor deveria ser como CNH com aula e prova pra poder tirar. Talvez tivéssemos um país melhor." - @monsores_

"Vejam A Fazenda. Nas próximas eleições eles serão nossos candidatos." - @rickgomes

"Vou votar nulo pra presidente porque nenhum dos candidatos me segue no Twitter. Isso é democracia." - @ulissesmatto

Opinião flexível


Editorial da Folha:

Uma pequena porcentagem de votos fez com que escapasse das mãos da petista Dilma Rousseff a chance de vencer a eleição presidencial no primeiro turno.
Ao impacto causado pelo escândalo envolvendo Erenice Guerra, principal auxiliar de Dilma na chefia da Casa Civil, somou-se nos últimos dias da campanha o peso de questões como a do casamento gay e da descriminalização do aborto. Eleitores contrários a essas propostas teriam identificado em Marina Silva uma representante mais confiável do que seria Dilma Rousseff.
Uma vez que é impossível, apesar dos esforços em contrário, reescrever a história da passagem de Erenice Guerra pela Casa Civil, lideranças do PT correm atrás do prejuízo eleitoral tratando de reescrever as posições do partido no que diz respeito ao aborto.
"Foi um erro ser pautado internamente por algumas feministas", declarou o secretário de Comunicação do partido, André Vargas, num pânico eleitoral tardio, e em meio ao vale-tudo de sempre.
Entre essas "feministas" minoritárias, seria preciso incluir a própria Dilma Rousseff, que em 2007 se declarava favorável à descriminalização do aborto: "No Brasil, é um absurdo que não haja".
Com a campanha, o discurso de Dilma Rousseff moderou-se, coincidindo com a tese oficial do ministério da Saúde do governo Lula: trata-se de encarar a questão da descriminalização do aborto não propriamente do prisma religioso, mas como um problema de saúde pública.
A tese, com a qual esta Folha já concordou por diversas vezes em editoriais, evidentemente não satisfaz quem considera, a partir de sua fé religiosa ou de suas convicções íntimas, a interrupção da gravidez como um atentado à vida de um ser humano.
O fato de que operações clandestinas, em condições das mais precárias, levem à morte milhares de mulheres todos os anos no país não é argumento, na opinião desses setores, para que o Estado ofereça acesso generalizado ao procedimento.
Trata-se, como aconteceu em inúmeros países, de matéria a ser resolvida em plebiscito; era o que propunha, aliás, a candidata Marina Silva, apesar de sua postura antilegalização.
Pesquisa do Datafolha, realizada em 2007, registrava forte maioria de opiniões contrárias à flexibilização nas regras em vigor. Estas, permitindo o aborto em caso de estupro ou risco de morte da mãe, contam com 68% de apoio da população.
Um debate continuado a respeito do tema, antecedendo a uma consulta popular, poderia - ou não - alterar esse quadro.
Na corrida por uma pequena porcentagem de votos, entretanto, o PT e sua candidata preferem apostar na desconversa e na mistificação. Condenam a descriminalização do aborto do mesmo modo que poderiam apoiá-la, fosse outra a ponderação dos marqueteiros.
Defenderão os sem-terra e o agronegócio, a Polícia Federal e o ficha-suja, a sexóloga feminista e o pagodeiro acusado de espancar a mulher, pouco importa - desde que esteja garantida a sobrevivência do seu esquema de poder.
É o único "direito à vida", aliás, que os mobiliza neste instante.

Sunday, September 26, 2010

O mal a evitar


Editorial do Estadão:

A acusação do presidente da República de que a Imprensa "se comporta como um partido político" é obviamente extensiva a este jornal. Lula, que tem o mau hábito de perder a compostura quando é contrariado, tem também todo o direito de não estar gostando da cobertura que o Estado, como quase todos os órgãos de imprensa, tem dado à escandalosa deterioração moral do governo que preside. E muito menos lhe serão agradáveis as opiniões sobre esse assunto diariamente manifestadas nesta página editorial. Mas ele está enganado. Há uma enorme diferença entre "se comportar como um partido político" e tomar partido numa disputa eleitoral em que estão em jogo valores essenciais ao aprimoramento se não à própria sobrevivência da democracia neste país.

Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o Estado apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República, e não apenas pelos méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode representar para a recondução do País ao desenvolvimento econômico e social pautado por valores éticos. O apoio deve-se também à convicção de que o candidato Serra é o que tem melhor possibilidade de evitar um grande mal para o País.

Efetivamente, não bastasse o embuste do "nunca antes", agora o dono do PT passou a investir pesado na empulhação de que a Imprensa denuncia a corrupção que degrada seu governo por motivos partidários. O presidente Lula tem, como se vê, outro mau hábito: julgar os outros por si. Quem age em função de interesse partidário é quem se transformou de presidente de todos os brasileiros em chefe de uma facção que tanto mais sectária se torna quanto mais se apaixona pelo poder. É quem é o responsável pela invenção de uma candidata para representá-lo no pleito presidencial e, se eleita, segurar o lugar do chefão e garantir o bem-estar da companheirada. É sobre essa perspectiva tão grave e ameaçadora que os eleitores precisam refletir. O que estará em jogo, no dia 3 de outubro, não é apenas a continuidade de um projeto de crescimento econômico com a distribuição de dividendos sociais. Isso todos os candidatos prometem e têm condições de fazer. O que o eleitor decidirá de mais importante é se deixará a máquina do Estado nas mãos de quem trata o governo e o seu partido como se fossem uma coisa só, submetendo o interesse coletivo aos interesses de sua facção.

Não precisava ser assim. Luiz Inácio Lula da Silva está chegando ao final de seus dois mandatos com níveis de popularidade sem precedentes, alavancados por realizações das quais ele e todos os brasileiros podem se orgulhar, tanto no prosseguimento e aceleração da ingente tarefa - iniciada nos governos de Itamar Franco e Fernando Henrique - de promover o desenvolvimento econômico quanto na ampliação dos programas que têm permitido a incorporação de milhões de brasileiros a condições materiais de vida minimamente compatíveis com as exigências da dignidade humana. Sob esses aspectos o Brasil evoluiu e é hoje, sem sombra de dúvida, um país melhor. Mas essa é uma obra incompleta. Pior, uma construção que se desenvolveu paralelamente a tentativas quase sempre bem-sucedidas de desconstrução de um edifício institucional democrático historicamente frágil no Brasil, mas indispensável para a consolidação, em qualquer parte, de qualquer processo de desenvolvimento de que o homem seja sujeito e não mero objeto.

Se a política é a arte de aliar meios a fins, Lula e seu entorno primam pela escolha dos piores meios para atingir seu fim precípuo: manter-se no poder. Para isso vale tudo: alianças espúrias, corrupção dos agentes políticos, tráfico de influência, mistificação e, inclusive, o solapamento das instituições sobre as quais repousa a democracia - a começar pelo Congresso. E o que dizer da postura nada edificante de um chefe de Estado que despreza a liturgia que sua investidura exige e se entrega descontroladamente ao desmando e à autoglorificação? Este é o "cara". Esta é a mentalidade que hipnotiza os brasileiros. Este é o grande mau exemplo que permite a qualquer um se perguntar: "Se ele pode ignorar as instituições e atropelar as leis, por que não eu?" Este é o mal a evitar.

Texto publicado na seção "Notas e Informações" da edição de 26/09/2010

Friday, September 24, 2010

Thursday, September 23, 2010

Wednesday, September 22, 2010

MANIFESTO EM DEFESA DA DEMOCRACIA


Em uma democracia, nenhum dos Poderes é soberano.
Soberana é a Constituição, pois é ela quem dá corpo e alma à soberania do povo.
Acima dos políticos estão as instituições, pilares do regime democrático. Hoje, no Brasil, os inconformados com a democracia representativa se organizam no governo para solapar o regime democrático.
É intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais.
É inaceitável que a militância partidária tenha convertido os órgãos da administração direta, empresas estatais e fundos de pensão em centros de produção de dossiês contra adversários políticos.
É lamentável que o Presidente esconda no governo que vemos o governo que não vemos, no qual as relações de compadrio e da fisiologia, quando não escandalosamente familiares, arbitram os altos interesses do país, negando-se a qualquer controle.
É inconcebível que uma das mais importantes democracias do mundo seja assombrada por uma forma de autoritarismo hipócrita, que, na certeza da impunidade, já não se preocupa mais nem mesmo em fingir honestidade.
É constrangedor que o Presidente da República não entenda que o seu cargo deve ser exercido em sua plenitude nas vinte e quatro horas do dia. Não há ''depois do expediente'' para um Chefe de Estado. É constrangedor também que ele não tenha a compostura de separar o homem de Estado do homem de partido, pondo-se a aviltar os seus adversários políticos com linguagem inaceitável, incompatível com o decoro do cargo, numa manifestação escancarada de abuso de poder político e de uso da máquina oficial em favor de uma candidatura. Ele não vê no ''outro'' um adversário que deve ser vencido segundo regras da Democracia , mas um inimigo que tem de ser eliminado.
É aviltante que o governo estimule e financie a ação de grupos que pedem abertamente restrições à liberdade de imprensa, propondo mecanismos autoritários de submissão de jornalistas e empresas de comunicação às determinações de um partido político e de seus interesses.
É repugnante que essa mesma máquina oficial de publicidade tenha sido mobilizada para reescrever a História, procurando desmerecer o trabalho de brasileiros e brasileiras que construíram as bases da estabilidade econômica e política, com o fim da inflação, a democratização do crédito, a expansão da telefonia e outras transformações que tantos benefícios trouxeram ao nosso povo.
É um insulto à República que o Poder Legislativo seja tratado como mera extensão do Executivo, explicitando o intento de encabrestar o Senado. É um escárnio que o mesmo Presidente lamente publicamente o fato de ter de se submeter às decisões do Poder Judiciário.
Cumpre-nos, pois, combater essa visão regressiva do processo político, que supõe que o poder conquistado nas urnas ou a popularidade de um líder lhe conferem licença para rasgar a Constituição e as leis. Propomos uma firme mobilização em favor de sua preservação, repudiando a ação daqueles que hoje usam de subterfúgios para solapá-las. É preciso brecar essa marcha para o autoritarismo.
Brasileiros erguem sua voz em defesa da Constituição, das instituições e da legalidade.
Não precisamos de soberanos com pretensões paternas, mas de democratas convictos.


Manifesto lançado hoje em ato público, na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo.
Entre seus signatários estão o jurista Hélio Bicudo, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, os cientistas políticos Leôncio Martins Rodrigues, José Arthur Gianotti, José Álvaro Moisés e Lourdes Sola,o poeta Ferreira Gullar, d. Paulo Evaristo Arns, os historiadores Marco Antonio Villa e Bóris Fausto, o embaixador Celso Lafer, os atores Carlos Vereza e Mauro Mendonça e a atriz Rosamaria Murtinho.


Assine aqui:
http://www.defesadademocracia.com.br/

Monday, September 20, 2010

Excessos


Como estou sem palavras, deixo Diogo Mainardi falar por mim:

O problema do Brasil é o excesso de liberdade da imprensa. Quem disse isso, em outras palavras, durante um encontro com sindicalistas baianos, foi José Dirceu. Eu digo o contrário. Eu digo que o problema do Brasil é o excesso de liberdade de José Dirceu.
Duas semanas atrás, em sua página no Twitter, Indio da Costa publicou uma fotografia que resume perfeitamente o excesso de liberdade de José Dirceu. Ele está no Rio de Janeiro, na pista do Aeroporto Santos Dumont, embarcando num jato particular, um Citation 10 com o prefixo PT-XIB. O excesso de liberdade da imprensa permite indagar quem sustenta o excesso de liberdade de José Dirceu.
O plano de José Dirceu para eliminar o problema do excesso de liberdade da imprensa tem duas partes. A primeira parte é a montagem de um sistema estatal que controle a atividade das empresas jornalísticas e que puna qualquer tentativa de fazer aquilo que ele chamou de “abuso do poder de informar”. Isso mesmo: Conselho Federal de Jornalismo. Isso mesmo: Ancinav. Isso mesmo: Confecom.
A segunda parte do plano de José Dirceu é aliar-se a empresários do setor da imprensa exatamente como o PT se aliou a José Sarney e a Renan Calheiros no Congresso Nacional. “O momento histórico que estamos vivendo”, segundo José Dirceu, é ruim para o “movimento socialista internacional”. Por isso, em vez de tentar fazer seu próprio jornal, o PT deve continuar negociando com alguns grandes grupos. Na prática, isso significa garantir o excesso de liberdade do bispo Edir Macedo e da Rede Record.
No mesmo encontro em que apresentou seu plano para eliminar o excesso de liberdade da imprensa, José Dirceu apresentou também seu plano para a reforma política. De acordo com ele, é necessário duplicar ou triplicar imediatamente a quantidade de dinheiro público destinada aos partidos. Ele advertiu que, sem esse dinheiro, o PT prosseguirá com suas práticas de “caixa dois, corrupção, nomeação dirigida, licitação dirigida, emenda dirigida, superfaturamento e tráfico de influência”.
José Dirceu disse que, no poder, o PT valorizou o servidor público. Claro que é verdade: o filho de Erenice Guerra valorizou-se, o outro filho de Erenice Guerra valorizou-se, o irmão de Erenice Guerra valorizou-se, a irmã de Erenice Guerra valorizou-se. José Dirceu falou até sobre a saúde de Dilma Rousseff, desmentindo o que ela própria diz sobre o assunto: “Ela passou por um câncer. E sente muito isso ainda”.
No fim de seu encontro com os sindicalistas baianos, José Dirceu voltou a tratar da imprensa. Ele antecipou que pretende dizer o seguinte, quando Dilma Rousseff estiver eleita: “Ó, não adiantou nada. Estamos aqui mais quatro anos”.
José Dirceu está certo. Ó, não adiantou nada.

She's back!


Sunday, September 12, 2010

Tapa na cara


Seria bom nesta data falar um pouco do projeto de se construir uma mesquita de treze andares e 100 milhões de dólares ao lado do Ground Zero em Nova York, o buraco deixado pela queda das torres do WTC em 11/09/2001.
A discussão é entre os que acham que é um tapa na cara de qualquer americano e os que acham que é um gesto de tolerância de um país onde a liberdade de credo é um de seus pilares institucionais. Entre estes últimos está o próprio Barack Hussein Obama.
Pois é, a mente atrás do projeto é o imam Feisal Abdul Rauf, um kwaitiano naturalizado americano. Às audiências ocidentais ele diz ser contra o fundamentalismo etc e tal. Aos seus, ele proclama como o Islam deve mudar a América. Ou seja, sua função e a dos muçulmanos da América seria a de descobrir as melhores maneiras de impor a sharia na vida dos americanos em geral.
E ele também não conta de onde estão vindo os 100 milhões para construir a obra.
Obviamente é fácil para islamistas pregarem a tolerância na América, quando em seus próprios países qualquer cristão pode ser preso, linchado ou apredejado sem maiores consequências.
O Islamismo usa a democracia e a liberdade que a América lhes oferece como ferramenta para minar por dentro estas mesmíssimas democracia e liberdade.
Mais ou menos o que o bolivarianismo e o lulismo fazem hoje.
Este é o verdadeiro tapa na cara, que os politicamente corretos recusam-se a enxergar.

Friday, September 10, 2010

Fidel admite


"O modelo cubano não funciona mais nem para nós."

Fidel Castro em entrevista a
Jeffrey Goldberg da Atlantic Monthly

Goela abaixo

Thursday, September 02, 2010

Carniceria Brasil

Discurso de José Serra 02/09/2010


Fico feliz de estarmos todos reunidos neste momento tão crucial para a História do Brasil. Qualquer eleição é sempre uma aposta sobre o futuro, mas só se pode olhar para o futuro tendo o passado como referência.
Vejo nos olhos de cada um de vocês o reflexo da luta que travamos pela democracia, aqueles anos de sacrifício em que demos nossas melhores energias para que hoje todos os brasileiros pudessem ter sua voz ouvida.Vejo nos olhos de vocês os reflexos da luta que empreendemos para reconstruir o Brasil. Eu quero dizer que tenho muito orgulho do Brasil democrático que eu ajudei a construir. Eu me reconheço neste Brasil que se deseja cada vez mais livre e vibrante. Tenho certeza de que o mesmo orgulho bate no peito de cada um de vocês. E é essa caminhada comum que me inspira a enfrentar os imensos desafios colocados diante de nós.
Aliás, que futuro queremos para os nossos filhos e netos? Quando entramos numa luta dura, como esta agora, acho que é a primeira pergunta a se fazer. Eu disse em 10 de abril: “No país com que eu sonho, o melhor caminho para o sucesso e a prosperidade será a matrícula numa boa escola, e não a carteirinha de um partido político.”
Porque esta foi uma lição que eu aprendi com o meu pai. O sucesso deve vir como resultado do trabalho duro e do esforço. Não da esperteza, dos expedientes escusos, do favorecimento ou da delinqüência. E aqui nós chegamos a um ponto vital nesta discussão sobre a liberdade. Ela é essencial também porque todo ser humano precisa ser livre para buscar o progresso para si mesmo, para sua família, para sua comunidade.
Sem liberdade, a igualdade de oportunidades fica capenga. Eis porque, amigos, amigas, companheiros e companheiras, quando os tiranos, ou candidatos a tiranos, desejam subjugar uma sociedade aos seus propósitos, começam restringindo a liberdade. Minando a liberdade dos outros. Não apenas a de pensar, ou de falar, mas principalmente a de adotar posições sem a sombra do temor, sem o medo de comprometer o bem-estar e os sonhos, os próprios sonhos e os dos amigos e entes queridos.
Dia sim outro também, alguém deste governo fala em controlar a imprensa. O partido do governo sonha com o dia em que vai poder censurar a imprensa. A expressão, bonita, é “controle social”, como se a palavra “social” pudesse legitimar o conteúdo horroroso. Maquiar as más intenções. Em palavras diretas, querem estabelecer comitês partidários para decidir o que os jornais e as revistas poderão ou não publicar, as rádios, tevês e a internet poderão ou não veicular. Querem sufocar economicamente quem ousa discordar.
Não vamos nos enganar, não vamos maquiar a realidade. É isso que estamos enfrentando nesta eleição. Vamos lutar e vamos vencer.
A defesa da liberdade nos une nesta candidatura, nesta caminhada em condições extremamente desafiadoras, caminhada que vai nos levar ao Palácio do Planalto. Liberdade não apenas de consciência, mas liberdade de ação. Liberdade para empreender e trabalhar. Liberdade para a cidadania plena.
Os brasileiros e brasileiras precisam ser livres para não temer que o Estado, financiado com o dinheiro de todos nós, seja ocupado por uma máquina partidária que ameaça e persegue as pessoas, que viola nossos direitos fundamentais. Como ,por exemplo, o direito ao sigilo bancário e fiscal. As notícias estão aí, o segredo fiscal de pessoas que o governo identifica como adversárias foi quebrado por gente na Receita Federal evidentemente a serviço de uma operação político-partidária.
Quando se viola o sigilo bancário de um caseiro, viola-se a Constituição. Quando se viola o sigilo fiscal de representantes da oposição, viola-se a Constituição. Quando se viola o sigilo telefônico e de correspondência de adversários, viola-se a Constituição. Não perguntem jamais quem é Francenildo Pereira. Francenildo são vocês. Francenildo somos nós. Não passo a mão na cabeça de malfeitores. Exijo é que se respeitem os Francenildos e as Marias, os Josés e as Anas.
Sabem o que é o mais impressionante? O mais impressionante é que ninguém do governo, do partido do governo, ou da campanha da candidata do governo deu-se ao trabalho de fingir que acha grave, de simular indignação, de vir a público para dar alguma satisfação à sociedade. Dão de ombros, emitem notas protocolares, ameaçam até processar as vítimas. Indignação? Nem pensar! Como acham que podem tudo, acreditam que podem também violar as leis do país e seguir em frente assoviando.
Mas o Brasil é maior do que eles. Com muito trabalho, luta e fé, vamos derrotá-los. O Brasil, repito, não precisa de alguém que “tome conta” da gente, como se nós, brasileiros e brasileiras, fôssemos incapazes de construir nossos próprios caminhos. E é isso que nós vamos fazer.
Nosso projeto político está claro há muito tempo para o Brasil. Para nós, democracia, estado de direito e justiça social são coisas inseparáveis. Repudiamos quem usa o desejo profundo dos brasileiros por mais justiça social e menos desigualdade para negar às pessoas o direito fundamental de viver num país que seja realmente de todos. Mas todos mesmo, e não só dos amigos, sócios, cupinchas ou cúmplices.
Na economia, somos o país campeão dos altos impostos, campeão dos juros, campeão do atraso na infraestrutura. Você vê o horário eleitoral deles, você vê a propaganda do governo, paga com o dinheiro do povo, e parece que todos os problemas do Brasil foram resolvidos. Obras que não existem, que andam mais devagar que tartaruga, são divulgadas dia e noite como se já estivessem prontas. Eles seguem a receita repugnante, repudiada pela História, de que a mentira repetida mil vezes se transforma em verdade. Só que eles não sabem que a receita está errada. O povo não é bobo.
Claro que há avanços, pois este governo teve a felicidade de colher o que os outros plantaram. Talvez estejamos assistindo à mais escancarada exibição de falta de caráter de que se tem notícia na história da política brasileira. A ingratidão é um defeito de caráter, a ingratidão é a cicatriz que revela uma alma complicada. O que é o PT? Um partido que tenta destruir os que o antecederam no governo, enquanto governa sobre as bases construídas com muito esforço e suor por quem veio antes. Governa e estraga essas bases.
O Novo Brasil - que se depara com o futuro do pré-sal, de uma nova e pujante classe media, que vai sediar Copa do Mundo e a Olimpíada - ainda precisa enfrentar grandes problemas: metade dos adolescentes fora das escolas, a necessidade de uma completa reforma do sistema de saúde, organizar o combate ao crime e as drogas, a construção e recuperação da infraestrutura, o déficit habitacional que chega a milhões de moradias. Grandes problemas que precisam de uma economia forte para serem resolvidos.
Agora, no momento de escolher um novo Presidente, é hora de perguntar: “Quem tem mais condições de manter a estabilidade?” Nesse terreno, um passo em falso que seja pode trazer prejuízos irremediáveis para os brasileiros. Quem tem mais condições de brigar lá fora para defender a economia do Brasil? Quem tem mais condições de defender os ganhos da estabilidade que chegaram ao bolso dos brasileiros na forma de salário, crédito e benefícios? Somos nós! É de nós que o Brasil Novo precisa.
Aí alguém vai me dizer. “Poxa, Serra, tudo bem falar disso. Mas e das outras coisas? Será que este é o melhor discurso para a eleição?” Essa é mais uma diferença. O PT diz a cada momento o que é mais conveniente, tem uma conversa para cada platéia. Nós temos um só discurso, uma só personalidade, uma só cara.
Nós não nos escondemos, não somos bonecos de ventríloquo, não precisamos andar na garupa de ninguém. Nós, acima de tudo, não somos produto de uma fraude. Nenhum pedaço da minha biografia precisa ficar trancado no cofre na época da eleição. E, se o povo brasileiro me der a honra de governar este país, saberá quem está a governar. Nós não seremos reféns de um projeto continuísta nem do apetite enlouquecido de um partido por posições de poder, que é forma bonita de chamar as verbas orçamentárias e os cargos cujos salários são pagos com o dinheiro do povo. Nós não somos candidatos a donos do Brasil. Somos candidatos a servir ao Brasil e ao nosso povo.
No horário eleitoral, nas entrevistas, nas palestras, tenho deixado claro o que pretendo fazer em benefício do Brasil e dos brasileiros. Por isso, faço propostas de cara limpa, sendo quem sou. Porque o grande patrimônio que tenho e que submeto ao julgamento da população é, sim, a minha biografia; é, sim, o meu trabalho; é, sim, o meu compromisso com o bem-estar de todos; é, sim, o meu compromisso com a liberdade; é sim, a minha luta por justiça e igualdade. E isso ninguém vai me tirar. Em campanhas eleitorais, nossos adversários têm optado pelo caminho da sordidez; sabotadores da ordem democrática se movem nas sombras para manchar reputações, para manchar biografias. É inútil no meu caso. Desde os meus tempos de presidente da UNE, são quase 50 anos de vida pública. Cinqüenta anos de uma vida ficha limpa!
- Não tenho nada a esconder do meu passado;
- não preciso que reescrevam a minha vida excluindo passagens nada abonadoras;
- não preciso que tentem me vender, como se eu fosse um sabonete;
- Não preciso de marqueteiro que mude a minha cara, o meu pensamento, a minha trajetória de vida. Ninguém precisa dizer à população quem sou eu. Inventar coisas que não fiz e esconder coisas que fiz. É a minha vida pública que diz quem sou. Posso fazer cara feia às vezes. Mas é uma cara só. Não digo uma coisa hoje para desdizer amanhã. E ninguém me diz o que tenho de falar ou não. Respondo pelas minhas palavras e pelas minhas escolhas. Não fui inventado por ninguém! Foi a luta democrática que me fez. Foram as minhas escolhas de vida que me trouxeram até aqui.
Vocês não imaginam a tristeza que eu sinto quando vejo o governo do meu país transformado num porta-voz planetário de todo tipo de ditador, de facínora, de genocida ou candidato a genocida. Transformaram o Brasil num avalista dos negadores de que tenha existido um Holocausto contra os judeus na Segunda Guerra Mundial. Pensam que enganam alguém, mas ajudam a criar um ambiente favorável a que os novos fascistas do século 21 construam a bomba atômica.
Meus amigos, minhas amigas, meus companheiros, minhas companheiras. Obrigado a todos vocês, a todas vocês, por terem vindo aqui hoje. Obrigado por terem vindo ouvir o que eu penso sobre esta luta e sobre o futuro. Obrigado por terem me dado a oportunidade de falar sobre os meus valores, sobre as idéias que defendo para o meu Brasil.
Obrigado por estarem comigo nesta caminhada. Que é difícil, eu sei. Exige muita firmeza, mas, para nós, pode ser conduzida com suavidade, serenidade, tranqüilidade. Pois, nesta campanha, nós temos a felicidade de poder defender exatamente aquilo que pensamos.
Nossa caminhada é difícil, mas Deus só dá a missão a quem pode realizá-la. Por isso nossa caminhada é também suave, já que, nela, podemos ser nós mesmos, sem precisar mentir, esconder, conspirar.
Vamos em frente, pela democracia, pela justiça, pela liberdade, pela igualdade, em defesa do Brasil livre e democrático que nós ajudamos a construir e que vamos ajudar a fazer avançar muito mais.
Pois, de uma coisa, nosso Brasil pode ter certeza:

“Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil, Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada ”Brasil!”

Wednesday, September 01, 2010

Jabor, ex-comuna, explica


Muita gente que está aí, gritando slogans, não quer entender que a via mais revolucionária para o Brasil de hoje é justamente o que chamávamos de "democracia burguesa", com boquinha de nojo. Muita gente sem idade e sem memória não sabe que o caminho para o crescimento e justiça social é o progressivo aperfeiçoamento da democracia, minando aos poucos, com reformas, a tradição escrota de oligarquias patrimonialistas. Escrevo isso porque acho que a luta de hoje é entre a verdadeira esquerda que amadureceu e uma esquerda que quer continuar a bobagem, não por romantismo, mas porque o Lula abri-lhes as portas para a lucrativa pelegagem. Vejo, assustado, que querem substituir o patrimonialismo "burguês" pelo sindicalista, claro que numa aliança de metas e métodos com o que há de pior na política deste país. Vão partir para um controle soviético e gramsciano vulgar do Estado para ter salvo-condutos para suas roubalheiras num país sem oposição, entregue a inimigos da liberdade de opinião. Escrevo isso enojado pela mentira vencendo com 80% de Ibope, apagando como da história brasileira o melhor governo que já tivemos de 94 a 2002, com o Plano Real, com a Lei de Responsabilidade Fiscal, com a telefonia moderna de hoje, com o Proer que limpou os bancos e impediu a crise nos atingir, com privatizações essenciais que mentem ao povo que "venderam nossos bens...", com a diminuição da pobreza em 35% e que abriu caminho para o progresso econômico de hoje que foi apropriado na "mão grande" por Lula e seus bolchevistas. Ladroeira pura, que o povo, anestesiado pelo Bolsa-Família e pelas rebolations do Lula na TV, não entende. Também estou enojado com os vergonhosos tucanos apanhando na cara por oito anos sem reagir. O governo Lula roubou FHC e o mais sério período do País e seus amigos nunca o defenderam nem reagiram. São pássaros ridículos em extinção.

100 anos do Timão!


Der Baader-Meinhof Komplex


O Grupo Baader-Meinhof era como a imprensa alemã, ciosa em não dar credibilidade a terroristas, chamava uma guerrilha urbana alemã-ocidental que se auto-intitulava RAF, ou Red Army Faction (Rote Armee Fraktion).
A RAF atuou desde o fim dos anos 60 até 1998, mas foi nos anos 70 que teve sua fase mais sangrenta realizando assaltos a bancos (ou desapropriações, idéia tirada dos movimentos semelhantes na América Latina), seqüestros, assassinatos e atentados a bomba.
O filme de Uli Edel, baseado no livro de Stefan Aust recria a conturbada atmosfera política na Alemanha dos anos 70.
Os filhos da geração nazista temiam especialmente que seu país voltasse às suas raízes totalitárias. Os Baader-Meinhof optaram pelo extremo oposto, o marxismo-leninismo com influência das idéias e atos de revolucionários como Ho Chi Mihn, Mao e Che Guevara. Como forma de atuação, escolheram a guerrilha urbana sul-americana, especialmente os Tupamaros uruguaios. O manual da RAF tem também grande influência do manual de guerrilha urbana de Marighella. Os membros da RAF chegaram a treinar em acampamentos palestinos na Jordânia. Tudo pela luta anti-capitalista, anti-imperialista, anit-burguesa e anti tudo o que está aí.
O que fica de tudo isso é a profecia de Hegel de que a vontade de transformação revolucionária não teria jamais outra expressão histórica senão “a fúria da destruição”. Olavo de Carvalho explica:
O revolucionário faz a sua parte: destrói. Substituir o destruído por algo de melhor não é incumbência dele, mas da própria realidade. Se a realidade não chega a cumpri-la, isso só prova que ela ainda é má e merece ser destruída um pouco mais.
A destruição é óbvia nas sequências de assassinatos e explosões cometidas por aqueles que queriam um mundo melhor. A dialética revolucionária também já que o contraste entre a liberação sexual e o fundamentalismo islâmico parece não fazer diferença para os revolucionários. Tudo o que destrua o que existe é considerado bom. O que acontecer depois ninguém sabe, mas será melhor.
Aqueles tempos passaram. Nossos revolucionários de ontem estão na política hoje (os alemães foram presos). E nossa revolucionária mor, Dilma Roussef, pode se tornar presidente.
As antigas armas e práticas de guerrilha urbana, é certo, foram abandonadas. Mas e os ideais? Com o poder na mão, não está o PT empenhado em destruir a velha ordem, à base de canetadas, PNDH's, neo-censura e afins? Terá a dona Dilma propostas efetivamente concretas para substituir o que existe, ou a realidade o fará?
Porque, como disse Luiz Felipe Pondé, o jargão "por uma sociedade mais justa" pode ser falado pelo pior dos canalhas. E ele lembra, a primeira propriedade privada é invisível: sua alma, seu espírito, suas idéias. É sobre ela que essa nova oligarquia de esquerda (herdeira das guerrilhas), agora avança a passos largos. Em nome da "justiça" social, ela silenciará a todos.

Friday, August 27, 2010

Dilma Roussef


Dilma Roussef é a encarnação do mal.
Simples assim.
Não é uma candidata, é um fantoche criado e manipulado.
É uma mentira e é uma mentirosa.
É um instrumento de um projeto de poder, um projeto que beneficia uma república sindical que se apoderou de toda a máquina do Estado em benefício próprio e daqueles que os sustentam.
E é em nome desta neo-burguesia que se diz representante dos interesses do povo que ela fala e trabalha.
É mentira. Não há interesses do povo. Não há utopia socialista, nem um brilhante futuro igualitário para os trabalhadores deste país, embora um punhando de intelectuais imbecis ainda acredite nisso.
O que há é uma quadrilha que se apoderou do Estado brasileiro, em parceria com o que há de mais podre na política brasileira, e que para se perpetuar no poder não mede esforços para desmoralizar instituições, para calar e manipular uma imprensa submissa, para estupidificar os cidadãos deste país tentando controlar como vivem, o que pensam, o que comem, como educam suas crianças.
E no exterior, privilegiam e beneficiam ditadores e facínoras que pensam e agem da mesma maneira.
Na campanha, não se envergonham de fazer o uso da máquina do Estado no seu projeto totalitário, não se envergonham de invadir a privacidade alheia, não se envergonham e nem lhes são apontadas suas incoerências, seus desmandos, suas mentiras, sua podridão.
Com a perspectiva de sua eleição, os ratos se animam, falam em partilhas de ministérios e cargos, tiram da cartola mais projetos mirabolantes de como dominar a sociedade.
E o que aparece ao povo são eternas imagens da terra prometida no horário eleitoral, onde haverá saúde, educação e segurança para todos. E o povo, estupidificado e agradecido elege o que aparece melhor na tela.
No fim, o que morre é a liberdade.
Podem plastificar sua cara, não sua alma.
Esta transparece aos olhos de quem neste país ainda tem um mínimo de inteligência.

Tatoos


Theodore Dalrymple escreve na New Criterion comentando o livro Bodies of Inscriptions de Margo de Mello sobre o recente fenômeno da disseminação de tatuagens na classe média americana e britânica.
O fenômeno obviamente se repete por aqui, e foi tema de artigo na Veja da semana.
dalrymple começa dizendo que cerca de 95% da população carcerária britânica é tatuada, uma correlação estatística maior do que com qualquer outro fator (exceto o tabagismo ) seja o uso de drogas ou lares desfeitos.
Por esta forma de alteração do corpo, criada em ritos tribais e depois replicada por marinheiros e pela classe operária seria tão atrativa assim aos jovens das classes mais abastadas (o que inclui membros da família real e celebridades), que outrora consideravam pessoas tatuadas umas espécies de déclassés?
Há certa diferença entre as tatuagens de criminosos e operários, aquelas (mal)feitas de improviso ou padronizadas e expostas nas vitrines dos estúdios de tatuagens, e as tatuagens dos jovens da classe média e alta, geralmente feitas sob encomenda e cuidadosamente estilizadas para serem únicas.
Margo de Mello, ela mesmo uma antropóloga tatuada, expõe algumas das razões. A primeira seria a de que a tatuagem estaria ligada a uma "filosofia" de vida, uma caldeirada new age que vai do espiritualismo primitivista à ecologia e vegetarianismo.
Mas não é tudo, há uma vontade também de expressar individualidade, de se destacar da massa com algo que chame a atenção. a outra razão seria por uma espécie de "crescimento pessoal".
Dalrymple tem outra explicação para o fenômeno: o vazio da existência moderna. Ele considera infinitamente triste que pessoas tenham que se desfigurar para de alguma forma afirmar a própria individualidade.
As tatuagens da classe média, feitas de modo a imitar ou lembrar aquelas das tribos e das classes proletárias seriam também uma forma de demonstrar seu liberalismo, tolerância e cabeça aberta. A tatuagem seria assim um ataque aos valores da burguesia. O que é um comportamento esquizofrênico, pois o burguês que se tatua para se mostrar próximo do proletariado é aquele mais ansioso para se diferenciar da massa dos homens comuns.
Uma das jovens universitárias entrevistadas por Margo de Mello que trazia a tatuagem "Fuck you", segundo ela feita para chocar o ambiente acadêmico. Pode ser, mas essa mesma jovem dificilmente trocaria de lugar com o zelador da universidade. E provavelmente teria bem pouco a conversar com ele.
Aqueles que acham que estão expondo a alma com suas tatuagens, estão na verdade expressando a própria superficialidade.

Thursday, August 26, 2010

Moby Dick e o touro


Dei um tempo nos meus livros de política, e voltei um pouco aos meus amados clássicos de aventura para relaxar um pouco.
Reli Moby Dick, de Melville. Desnecessário dizer, a história é a luta entre uma força bruta da natureza e um homem obcecado por ela, o irascível capitão Ahab.
Sei que serei certamente crucificado por alguns, mas eu adoraria subir em um bote e enfiar um arpão no coração do monstro. É o que dá ler livros bem escritos.
Tá, não vai acontecer nunca, estou falando mesmo só por falar.
Mas Moby Dick hoje me leva a uma reflexão. Por séculos o homem orgulhou-se de seu lugar na Criação, de dominar as forças da natureza.
Hoje somos obrigados a nos envergonhar disso. Na espiritualidade nascida na New Age que desembocou no ambientalismo moderno, a natureza é o centro da Criação divina, e um homem parte dela, tão importante quando uma urtiga ou um minhocuçu.
Sou politicamente incorreto dizendo que quero arpoar uma baleia, isso equivale hoje a uma verdadeira blasfêmia.
A proibição das touradas na Catalunha foi um sintoma disso. Uma tradição secular, inigualável nas cores e gestos, no contraste entre sol e sombra, homem e natureza, areia e sangue, graça e elegância e uma luta feroz, imortalizada por Picasso inúmeras vezes, hoje extinta com a canetada politicamente incorreta.
Ao contrário dos que pensam que esta luta simbolizava a arrogância humana, tanto o touro como Moby Dick existiam para trazer a humildade de volta aos homens, porque contra a Natureza, a despeito de nossas ilusões, nem sempre ganhamos.

Wednesday, August 25, 2010

Carnes para gourmets


Não é segredo para ninguém que eu seja um carnívoro convicto. Para mim o veganismo é só mais um sintoma da epidemia do “politicamente correto” que assola a inteligência mundial.
Gosto de degustar a carne, como se degusta um vinho.
Assim como temos castas de uvas como a Merlot, Cabernet ou Syrah, temos as raças de gado como Nelore, Angus ou Charolês.
Assim como há as regiões produtoras de vinhos como a Serra Gaúcha, Mendoza ou Bourdeaux, há as regiões produtoras de carne como o Pantanal, os Pampas ou as highlands escocesas.
Assim como o tempo de maturação influencia o sabor do vinho, também o faz com a carne.
Não é à toa que na Europa já existem A.O.C.’s (apelações de origem) de carne como existem há tempo para o vinho.
Já comi um roastbeef de Angus escocês inesquecível. Comi uma carne de hereford grain-fed americano que era como manteiga. Já comi um entrecôte de Parthenaise na mesma cidade de Parthenais que deu origem à raça na França, um sabor dos deuses. E já comi churrasco de boi Nelore assado numa churasqueira de tambor velho no meio do Mato Grosso que foi tão bom quanto todos os outros.
Mas o boi tem uma vantagem sobre a uva. Um boi dá origem a dezenas de cortes diferentes, todos com peculiaridades de sabor e textura únicas.
E para quem conhece carne, não existe carne de segunda, é só saber cortar e preparar. E para uma maioria que acha que churrasco é sinônimo de picanha, existe um horizonte muito além das picanhas em cortes especiais e desconhecidos do churrasqueiro de fim de semana que merecem ser divulgados. O Arildo, famoso churrasqueiro de Campo Grande fala que o melhor churrasco que ele faz é do coxão duro, é provar para crer.
Meu preferido é o assado de tira, a costela cortada em tiras na transversal. O prime-rib, ou o filé de costela com osso. O assado gaúcho, ou fralda. E tantos outros.
Agora é preciso encontrar essa carne com especialistas que gostam tanto de carne como você, e por isso aqui fica a dica para quem é apreciador e está em São Paulo:

www.intermezzogourmet.com.br

Liguei, encomendei, recebi em casa e foi o melhor churrasco que já fiz na vida, com elogios de aprovação e tapas nas costas de mais uns trinta comensais.
Belos cortes, excelente carne.
Quem sabe, sabe.

Friday, August 20, 2010

Boicote!


Em repúdio às repetidas manifestações de desprezo e hostilidade da Scuderia italiana de Fórmula 1 aos pilotos brasileiros Rubens Barrichello e Felipe Massa, conclamamos nossos leitores a boicotarem essa marca.
Portanto durante este mês NÃO COMPREM nenhum veículo da marca Ferrari!
Vamos mostrar nossa força!

Roberto Jefferson no Twitter


Bob Jeff, o homem ventilador, continua metendo a boca no trombone, agora via twitter.
Eu acho que pelo menos o marqueteiro do Zé Serra deveria ouvi-lo, afinal é uma raposa velha e sabe do que fala:

  • Eu apoio Serra a pedido do Geraldo Alckmin. Sou Geraldo, não conheço o Serra. Só de ouvir falar.
  • Eu encontrei com o Serra duas vezes. Uma na convenção do PTB. Outra na casa do Geraldo Alckmin.
  • Serra é responsável pela nossa dispersão. Nunca nos reuniu.
  • Aécio: se o Lula derrotar o Anastasia, pois ele não é confrontado, derrotara você. Derrotara a oposição.
  • Essa estória do empresariado paulista de fazer Dilma & Geraldo, pode dar Dilma & Mercadante. Ninguém se une contra o Lula. Ele esmagará todos.
  • Geraldo: se o Lula desembarcar em São Paulo na eleição, vai ameaçar você. E poderá destruir a última fortaleza tucana. Destruindo a oposição.
  • Gente, a continuar essa coisa de cada um por si; se a oposição não reagir ao Lula vai para o pau.
  • Em São Paulo, o Lula desembarcará para destruir a fortaleza tucana. Está na cara. E ninguém atira no Lula, o bonzinho.
  • Lula está em Minas pedindo votos para Hélio Costa. E ninguém se opõe a Lula. Se Ansatasia perder, o Aécio será um senador isolado.
  • O legado de Lula é dele. Não adianta os marqueteiros orientarem Serra para ser o sucessor de Lula. Ele fez o testamento para Dilma.
  • Todos pouparam o governo do Lula de críticas. Mesmo quando Lula mente. E ele mente muito.
  • Gente, O Lula mente, o Lula é falso, o Lula é hipócrita.
  • Lula surfa nas ondas do momento econômico construído por FHC. Mas o marqueteiro da campanha do Serra não quer que FHC apareca.
  • A oposição não tem rosto. O PSDB nacional escondeu FHC. O PSDB regional esconde Serra.

Thursday, August 19, 2010

Malibu 2009 x BelAir 1959


São 50 anos de evolução tecnológica a serviço do homem...

Irredutíveis?


Toda a Gália foi ocupada pelos romanos... Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor.

Hehe, nem tão irredutíveis assim...Mas a campanha publicitária acima está revoltando os gauleses.

Repórteres...


O vídeo que aparece aqui é da reportagem do SBT Repórter de segunda feira passada. Eu apareço ali entre o 7:10 e o 7:14 minutos deste bloco.
São 4 segundos de fama na TV mais feliz do Brasil.
Para aparecer 4 segundos, saí de são Paulo em uma van e passei o dia gravando em uma fazenda em Paulínia. Falei horas sobre o impacto ambiental da pecuária, de como a ciência e a tecnologia podem mitigar esses impactos, falei de recuperação de pastagens, da importância que isso terá no combate ao desmatamento, falei de mitos sobre as emissões de metano, falei de nutrição animal.
Tudo isso para que a edição do programa usasse apenas uma frase "engraçadinha" para ir ao ar.
Eu queria fama? Não, principalmente não junto com Silvio, Hebe & cia. Eu apenas cometi o erro de acreditar que a TV realmente se interessa em esclarecer a população sobre determinados assuntos. Mas não foi a primeira vez, e nessas experiências aprendi um pouco sobre jornalismo. Algumas lições (que valem uma faculdade de jornalismo):

1. Reportagem que vende é a que apela às massas. Segundo o Gilberto Smaniotto, nessa categoria estão reportagens sobre comida, sexo e histórias policiais. Fora disso o assunto é "cult".
2. Repórteres são seres absolutamente ignorantes em todos os assuntos. Na verdade, eles aprendem que não precisam saber nada, já que a função deles é a de reportar, ou seja, a de dizer "Fulano que é especialista falou isso". O problema é que nesse processo ele vai acumulando o que ouviu a torto e a direito, e o resultado é o repórter que continua sem saber nada mas que agora acha que sabe tudo.
3. Não interessa qualquer tipo de informação relevante que você queira passar ao público. É o repórter quem decide o que ele acha que é relevante (e isso sem saber nada). E nessa tarefa, ele não vai obviamente reportar o que você acha importante, ele vai ficar de olho na sua frase mais "engraçadinha" ou "polêmica" para por no ar (tipo: carne de porco é afrodisíaca, frase dita pela infame Cristina Kirchner e ridicularizada na Argentina inteira). Essa é a que chama a atenção e traz ouvintes, telespectadores e leitores. Informação é efeito colateral.
4. Jornalismo tem obsessão pelo "outroladismo". Se há uma notícia ruim sobre o PT, ele busca outra pior sobre o PSBD para por na mesma página do jornal. Se a reportagem é sobre carne, vamos ouvir os vegetarianos. Não interessa se o "outro lado" está dizendo os maiores absurdos.
5. O "outroladismo" não significa em absoluto imparcialidade. Porque tudo o que o repórter juntou, ele passa a seu editor. E aí você depende das boas graças desta figura para saber se sua mensagem passou ou não. No caso do SBT Repórter, o editor achou por bem destacar o casalzinho-campineiro-moderno-descolado-consciente-eu sou jóia-vegetariano (que domina o resto do programa) cozinhando estrogonofe de cogumelo e relacionar o consumo de carne aos peões do Pantanal e churrasqueiros pançudos.
6. A praga do politicamente correto que assola a inteligência do país está obviamente presente no jornalismo. E segundo os editores do SBT, politicamente correto é não comer carne. Nessa reportagem, como notado por alguns amigos com um mínimo de QI, o recado foi: Se possível evite carne. Ou como diz a top do Esquadrão da Moda: "Geeeente, meu sonho é ser vegetariana"...Comer carne virou sinônimo de peso na consciência. Felicitações ao jornalismo engajado.

Bem, longe de mim interferir na liberdade de imprensa. Mas a lição está aprendida. E como foi dito no Congresso da ABAG, se o agronegócio quiser aprender a se comunicar melhor, é bom ele mesmo tomar para si esta tarefa.

Monday, August 16, 2010

Sunday, August 15, 2010

Censo 2010

Sexta Feira 13


E eu perdi os documentos do carro.
Não acreditar em superstições dá um azar danado.

Wednesday, August 11, 2010

Joelmir Beting e o futuro do Brasil


Na segunda feira participei do 9o Congresso da ABAG, a Associação Brasileira de Agronegócio.
Um dos painéis do Congresso era apresentado pelo jornalista Joelmir Beting, que foi encarregado de elaborar um panorama político para os presentes. O que vai abaixo é uma síntese do que foi dito pelo jornalista.

Joelmir começa contando um causo, quando em certo ocasião chegava de viagem em Curitiba. O taxista, reconhecendo a celebridade pelo retrovisor falou:
- Ah, seu Boris, é um prazer ter o senhor aqui...
- Eu não sou o Boris, sou o Joelmir.
- Ah, o senhor é que fala lá de dívida, calote, essas coisas?
- É, é por aí sim.
- Então doutor, tem uma luz no fim do túnel para a gente?
- Olha, eu tenho duas notícias para você, uma boa e uma má.
- Ah é? Qual é?
- A má é que não tem luz no fim do túnel.
- E a boa?
- A boa é que ainda tem túnel.

E pelo menos para o agronegócio, o túnel é o maior do mundo.
Então façamos um balanço da economia nacional.
São 16 anos de real.
16 crises (Rússia, México, Ásia, .com, risco Lula, 11/09 etc etc etc até a crise financeira de 2009).
Média de 1 por ano.
E o real sobreviveu, e o país cresceu.
Dólar entre 1,90 e 1,70 em média há anos quer dizer economia estabilizada.
Sem estabilização, não há crescimento.
PIB crescerá este ano 7% (sobre 0 do ano passado) e 4,5% no ano que vem, sendo que 4,5% sobre 7% é bem melhor do que 7% sobre 0...
A crise foi anunciada como sendo a pior desde 1929, e o próprio FMI anunciou que a mesma duraria até 2012. Na verdade, das 16 crises que o real atravessou, nenhuma durou mais do que 9 meses.
Se há uma regra que serve à economia é a de que toda previsão pessimista é levada a sério. A expectativa da crise acaba gerando ou piorando a crise, o que sanciona a expectativa.
Então é melhor ser otimista, porque este pelo menos só sofre no fim.
O cenário econômico é o pano de fundo do plano político.
No plano político a verdade é que os grandes partidos não tem programas, e estão divididos em rachas internos. Não há metas, e quando as há não há meios para implementá-las, o que é o DNA do populismo e da demagogia.
O PT também não tem um projeto de país, tem apenas um projeto de poder.
Que passa por Dilma em 2010 e 2014, Lula em 2018 e 2026 e quem sabe Zé Dirceu em 2030 e 2034. São 48 anos de expectativa de perpetuidade.
A campanha eleitoral brasileira tem uma jabuticaba única no mundo chamada horário eleitoral gratuito.
A inclusão social da TV é maior do que a do fogão, 97% dos lares tem acesso à televisão, que tem seu efeito multiplicado na banda larga via celular, e nas redes sociais, a comunicação da massa pela massa.
Para um povão não escolarizado, não politizado, dos quais 2/3 não compreendem um enunciado simples, escolhe-se um candidato como escolhe-se o vencedor do Big Brother: pela empatia.
No quesito empatia na TV, Serra e Dilma estão como nas pesquisas em empate técnico, ambos são igualmente rejeitados.
No debate da BAND, Joelmir Beting perguntou à candidata Dilma com réplica de José Serra: "Até quando pagaremos impostos de 34% sobre alimentos e remédios, e juros de 55% na produção e 238% no cartão,? Dá para baixar sem reduzir os gastos do governo?"
Nenhum dos dois respondeu ao que foi perguntado.
Destacou-se no debate a questão da violência, mas ninguém fez a ligação entre violência e corrupção. Violência pode vir em 30% da miséria econômica, mas 70% vem de miséria moral, que não faz distinção nem de classe e nem de instituição.
O debate ignorou a política externa, que só virá à tona na campanha em virtude de eventos externos (como a iraniana apedrejada). O Itamaraty hoje é refém do PT. Serra por sua vez prometeu congelar Irã e Chaves e insistir em acordos bilaterais de comércio, a começar pelos EUA.
O debate também ignorou questões básicas para o agronegócio como o Código Florestal, Políticas Agrícolas e o MST.
Na área econômica, ninguém ligou os juros altos do país com a dívida pública, os gastos do governo e o câmbio, que anda fora de lugar. O dólar era para valer hoje R$ 2,27.
A partir do dia 19, uma guerra de 40 dias será travada no horário eleitoral.
Dilma, que tem 40% do tempo colará sua figura à de Lula.
Serra insistirá na biografia.
Marina vai se colocar como a 3a via.
O PT tem 30% de eleitorado histórico. O lulismo tem o dobro do petismo. Se o petismo morrer, o lulismo sobrevive.
Dilma tentará sugar os votos do lulismo não se comparando a Serra, mas se mostrando como a continuidade do Lulismo.
Sérgio Guerra, chefe da campanha de Serra diz saber que Lula é um mito, e portanto acima do bem e do mal. Mas diz que um mito sempre pode ser substituído por outro.
De qualquer maneira, no fundo no fundo, seja quem ganhar, as reformas tão necessárias e urgentes ao país: trabalhista, tributária, monetária, política, eleitoral, etc não serão feitas. São tecnicamente possíveis e viáveis, mas impossíveis politicamente.
E por isso a mensagem final vem do Barão de Itararé: "O Brasil é feito por nós. Chegou a hora de desatar os nós".

Quanto ao agronegócio, Joelmir conta outro causo. Nos anos 70 foi a Nova York entrevistar um futurólogo americano que havia predito que no ano 2000 o Brasil estaria na lanterninha de uma lista dos países mais desenvolvidos.
Joelmir perguntou porque. O americano respondeu:
- Vocês são um país tropical, terra do sol, da doença, da indolência, da preguiça...
- Ah é?
- É, a humanidade surgiu nos trópicos e teve que fugir de lá para se desenvolver em zonas temperadas.
- Então vamos ficar assim?
- Mas espere aí, tem algumas novidades aparecendo em computação, bioquímica, biotecnologia, engenharia genética...
Joelmir que nunca ouvira falar nessas coisas (eram os anos 70 afinal) perguntou:
- E o que isso quer dizer?
- Quer dizer que vocês terão ferramentas para se desenvolver, e a bioquímica lhes ajudará a dominar os trópicos e suas pragas e doenças. E então a humanidade voltará ao sol, de onde nunca deveria ter saído.
Nós somos o sol.

Mussum Forevis

E falando nisso, uma homenagem a um ícone pop brasileiro...





Cacildis!


Eu achei que nosso saudoso Mussum tinha voltado do além, mas é só o Meritíssimo Joaquim Barbosa do Supremo tomando um mé terapêutico durante sua licença médica.
E negão é teu passadis!

Sunday, August 08, 2010

Dia dos Pais


O primeiro Dia dos Pais a gente nunca esquece.
Especialmente por que o papai aqui ganhou selo de garantia e um ribeye steak de 375g no Outback...

Wednesday, August 04, 2010

Igrejas Brasileiras


Deus é 10%!!!
Funde também a sua e junte-se a essa galera que ganha a vida enganando os outros e sem pagar imposto! Quase tão bom como ser do PT!

  • Igreja da Água Abençoada (aguardente?)
  • Igreja Adventista da Sétima Reforma Divina (para clientes plus da Leroy Merlin)
  • Igreja da Bênção Mundial Fogo de Poder (ou de Phoder?)
  • Congregação Anti-Blasfêmias (p.q.p.!)
  • Igreja Chave do Éden (cópias em 1 minuto)
  • Igreja Evangélica de Abominação à Vida Torta (ah, vida torta é que é boa)
  • Igreja Batista Incêndio de Bênçãos (chamem os bombeiros)
  • Igreja Batista Ô Glória! (ô Cride, fala pra mãe!)
  • Congregação Passo para o Futuro (Passo...)
  • Igreja Explosão da Fé (para o esquadrão anti-bombas)
  • Igreja Pedra Viva (isso é que é milagre)
  • Comunidade do Coração Reciclado (a 1a igreja sustentável do Brasil)
  • Igreja Evangélica Missão Celestial Pentecostal (sensacional, superlegal, animal!)
  • Cruzada de Emoções (para Corações de Leões)
  • Igreja da Cortina Repleta de Bênçãos (e o tapete?)
  • Congregação Plena Paz Amando a Todos (e viva Jah, legalize já)
  • Igreja A Fé de Gideão (Gideão é bão)
  • Igreja Aceita a Jesus (e aceita o dízimo também)
  • Igreja Pentecostal Jesus Nasceu em Belém (tá, essa parte a gente sabe)
  • Igreja Evangélica Pentecostal Labareda de Fogo (Igreja-Motel e Sex Shop)
  • Congregação Jesus Ama a Todos (menos pastores picaretas)
  • Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação Para Cristo (se perder, só amanhã de manhã)
  • Igreja Pentecostal Uma Porta para a Salvação (sem janelas)
  • Comunidade Arqueiros de Cristo (de tanto levá frechada do seu oiá)
  • Igreja Automotiva do Fogo Sagrado (vende-se Fusca 69)
  • Igreja Batista A Paz do Senhor e Anti-Globo (Jabulaaaaani)
  • Assembléia de Deus, do Pai, do Filho e do Espírito Santo (é a Santíssima Quadrindade)
  • Igreja Palma da Mão de Cristo (E eu conheço essa gente como a palma da minha)
  • Igreja Menina dos Olhos de Deus (tá se achando)
  • Igreja Pentecostal Vale de Bênçãos (podia ser montanha de bençãos)
  • Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D’Água (Fiel mes...)
  • Igreja Batista Ponte para o Céu (uma escada era melhor)
  • Igreja Pentecostal do Fogo Azul (Comgás ou Supergasbrás?)
  • Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo! (oi??)
  • Igreja da Cruz Erguida para o Bem das Almas (vade retro!)
  • Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade (e a humildade?)
  • Igreja Filho do Varão (fi di quem?)
  • Igreja da Oração Eficiente (sua oração 100% garantida ou seu dízimo de volta)
  • Igreja da Pomba Branca (vai c... na sua cabeça)
  • Igreja Socorista Evangélica (chama o SAMU)
  • Igreja ‘A’ de Amor (para alfabetizandos)
  • Cruzada do Poder Pleno e Misterioso (uuuuuuuhhhh...)
  • Igreja do Amor Maior que Outra Força (qual? O lado negro da Força?)
  • Igreja Dekanthalabassi (dehalembtlahrassikenm?)
  • Igreja dos Bons Artifícios (não dá chabu)
  • Igreja Cristo é Show (paga o ingresso aí mermão)
  • Igreja dos Habitantes de Dabir (voltem para lá!)
  • Igreja ‘Eu Sou a Porta’ (a da rua é serventia da casa)
  • Cruzada Evangélica do Ministério de Jeová, Deus do Fogo (Fiat Lux!)
  • Igreja da Bênção Mundial (igreja da globalização)
  • Igreja das Sete Trombetas do Apocalipse (o fiel ganha uma Vuvuzela de grátis no primeiro culto)
  • Igreja Barco da Salvação (furado)
  • Igreja Pentecostal do Pastor Sassá (Mutema?)
  • Igreja Sinais e Prodígios (O Código da Vinte %)
  • Igreja de Deus da Profecia no Brasil e América do Sul (igreja da Unasur)
  • Igreja do Manto Branco (o pastor é Pai de Santo)
  • Igreja Caverna de Adulão (cadê o Mestre dos Magos?)
  • Igreja Este Brasil é Adventista (não é não)
  • Igreja E.T.Q.B Eu Também Quero a Bênção (Eu Também Quero Bufunfa)
  • Igreja Evangélica Florzinha de Jesus (ui, bofe...)
  • Igreja Cenáculo de Oração Jesus Está Voltando (de onde?)
  • Ministério Eis-me Aqui (quem perguntou?)
  • Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia (Créu Eu na Bíblia)
  • Igreja Evangélica A Última Trombeta Soará (então será a hora do recreio)
  • Igreja de Deus Assembléia dos Anciãos (só para maiores de 70 acompanhados dos pais)
  • Igreja Evangélica Facho de Luz (a lanterninha do ranking)
  • Igreja Batista Renovada Lugar Forte (Fraco só o nome)
  • Igreja Atual dos Últimos Dias (que nem o repórter Esso, a primeira a dar as últimas)
  • Igreja Jesus Está Voltando, Prepara-te (Passa um perfume, toma um banhinho...)
  • Ministério Apascenta as Minhas Ovelhas (Apascenta minha paciência)
  • Igreja Evangélica Bola de Neve (Vai rolando...)
  • Igreja Evangélica Adão é o Homem (Lula é o Cara, Deus é dez %)
  • Igreja Evangélica Batista Barranco Sagrado (quero morrê encostado...)
  • Ministério Maravilhas de Deus (Fundada pela Mara!)
  • Igreja Evangélica Fonte de Milagres (olha olha olha a água mineral!)
  • Comunidade Porta das Ovelhas (vulgo curral)
  • Igreja Pentecostal Jesus Vem, Você Fica (se correr o bicho pega)
  • Igreja Evangélica Pentecostal Cuspe de Cristo (Perdoai-os Senhor, eles não sabem o que fazem)
  • Igreja Evangélica Luz no Escuro (para os dias de apagão)
  • Igreja Evangélica O Senhor Vem no Fim (e os últimos serão os primeiros)
  • Igreja Pentecostal Planeta Cristo (Planet Hollywood gospel)
  • Igreja Evangélica dos Hinos Maravilhosos (Salve o Corinthians, campeão dos campeões...)
  • Igreja Evangélica Pentecostal da Bênção Ininterrupta (é benção que não acaba mais)
  • Assembléia de Deus Batista A Cobrinha de Moisés (se eu fosse Moisés aparecia e mandava mudar o nome pra A Anaconda de Moisés)
  • Assembléia de Deus Fonte Santa em Biscoitão (hóstia não tá com nada, biscoitão é muito mais nutritivo)
  • “Igreija” Evangélica Muçulmana Javé é Pai (samba do criolo doido)
  • Igreja Abre-te-Sésamo (Ali Babá é o bispo, e os quarenta ladrões os pastores cobrando dízimo)
  • Igreja Assembléia de Deus Adventista Romaria do Povo de Deus (eita porra)
  • Igreja Bailarinas da Valsa Divina (Bailarinas?)
  • Igreja Batista Floresta Encantada (grupos de oração com Bambi, Branca de Neve e Shrek)
  • Igreja da Bênção Mundial Pegando Fogo do Poder (queima total de estoque)
  • Igreja do Louvre (não é lá que está o Santo Graal?)
  • Igreja Evangélica Batalha dos Deuses (e os cavaleiros do Zodíaco?)
  • Igreja Evangélica do Pastor Paulo Andrade, O Homem que Vive sem Pecados (Não fuma, não bebe, não cheira, só engana o povo)
  • Igreja Evangélica Idolatria ao Deus Maior (Michael Jackson?)
  • Igreja MTV, Manto da Ternura em Vida (MTV, o pastor é VeeJay)
  • Igreja Pentecostal Marilyn Monroe (Diamonds are a gril's best friend)
  • Igreja Quadrangular O Mundo É Redondo (Afinal não dava para ser Igreja Circular o Mundo é Quadrado)
  • Igreja Pentecostal Trombeta de Deus (vulgo Vuvuzela do Senhor)
  • Igreja Pentecostal Alarido de Deus (vulgo galinheiro do Senhor)
  • Igreja pentecostal Esconderijo do Altíssimo (Atenção viaturas, o elemento Altíssimo está foragido!)
  • Igreja Batista Coluna de Fogo (não senta que queima)
  • Igreja de Deus que se Reúne nas Casas (que se reúne nas casas é parentagem e vizinhança pra ver jogo de futebol)
  • Igreja Evangélica Pentecostal a Volta do Grande Rei (são tantas emoções...)
  • Igreja Evangélica Pentecostal Sinal da Volta de Cristo (Retorno 100m =>)
  • Igreja Evangélica Assembléia dos Primogênitos (caçula não entra)
  • Ministério Favos de Mel (a vida é um doce...)
  • Assembléia de Deus com Doutrinas e sem Costumes (pode cuspir no chão, mastigar de boca aberta...)
Respeito? Aí sou como o Reinaldo Azevedo, respeito é só pra religião mais antiga que meu uísque.

Friday, July 30, 2010

Misericórdia


Fiz 35 anos essa semana.
E como dizem os hindus, a vida é um piscar de olho de Deus...
Passa rápido e cada vez mais rápido. Mas o presente esse ano foi especial.
Quando se é pai (ou mãe), a impressão que dá é que preferiríamos ter as próprias tripas atravessadas por uma espada samurai a ver o filho com o menor sinal de dor que seja, mesmo que essa dor seja uma minúscula cólica de bebê.
E ainda assim, a arte de ser pai não é a de protegê-lo de tudo, inclusive de si mesmo (como pais que subornam guardas para não incriminarem o filho ou o que culpa a professora pelo mau desempenho do aluno), mas de dar-lhe as ferramentas para suportar as pedras do caminho com dignidade e honestidade.
Aí nos perguntamos que direito temos de colocar em um mundo tão cruel um inocente. Minha esposa que é espírita tem uma explicação mais confortável. Ele nasceria de qualquer jeito, então que nasça conosco que cuidaremos bem dele.
Eu encontrei alívio essa historinha, e gostei tanto que desde então guardo uma cópia dela:

Deus prestes a criar o homem e a mulher quando foi assolado por dúvidas terríveis. Chamou então alguns de seus assessores, a Justiça e a Misericórdia.
Pergunta Deus a eles se valeria a pena criar o homem e a mulher, levando-se em conta o que nós faríamos (o pecado). A Justiça se coloca contra a empreitada dizendo que nós não valemos o "investimento".
Somos mentirosos, infiéis e orgulhosos. Seu voto seria contra. Já a Misericórdia vota a nosso favor. Diz que, mesmo sendo como somos, daríamos grande alegria a Deus nos poucos momentos em que seriamos capazes de ver, em meio à impenetrabilidade assustadora do nosso orgulho, Sua beleza.
Deus pensa e decide a nosso favor.
Todavia, talvez como forma de castigar a Misericórdia, que O convenceu a nos criar, Ele a despedaça contra o chão e a dispersa pelo mundo.
Assim sendo, ficamos submetidos, desde o alto, à desconfiança eterna da Justiça divina, ao mesmo tempo em que desesperados, arrastando pelo chão, buscamos os cacos da Misericórdia (ou da Verdade) que habita os recantos distantes do mundo e os detalhes infinitos da vida.


A historinha foi tirada de comentários rabínicos ao primeiro livro da Torá, e mencionada por Luiz Felipe Pondé em seu artigo Misericórdia.
O autor finaliza dizendo: "Por isso, dirão os sábios, Deus está no detalhe. Felizes aqueles que conseguem ainda contemplar a delicadeza desses detalhes. Toda vez que vejo a Misericórdia no gesto de alguém, me calo."

Entraves para a Indústria


A apresentação acima, feita pela FIESP sintetiza de maneira rápida e clara através de gráficos quais são os entraves para o desenvolvimento da indústria no país.
Algumas conclusões rápidas:

1. Crescimento do PIB é diretamente ligado ao crescimento da indústria de transformação
2. O crescimento da nossa indústria está estagnado
3. Os principais entraves são tributação, juros/crédito e mão de obra qualificada
4. Temos uma carga tributária que não é condizente nem com o PIB, nem com a renda e nem com o IDH do país
5. Carga alta = estagnação da indústria, que paradoxalmente é a atividade que mais arrecada
6. Carga alta = maior necessidade de capital de giro, que no Brasil têm o maior custo do planeta
7. Juros e spread limitam crédito e crescimento
8. Alfabetização e escolaridade melhorando, mas ainda abaixo dos países competitivos. A China forma 600 mil engenheiros por ano (40% dos formandos), o Brasil, 30 mil (8% dos formandos.
9. Investimento em P&D não se reflete em patentes e uso comercial
10. Corrupção custa R$ 41,5 bilhões ao ano ao país, a burocracia outros R$ 46,3 bilhões

E a Dilma ainda discursa para empresários dizendo que não vai reduzir a carga tributária de maneira nenhuma sem escutar um pio de volta.
E la nave va...

Wednesday, July 28, 2010

Do Viver


Urge viver. Minutos audaciosos
Armam cilada aos passos repetidos
Qualquer coisa acontece nestes idos
De tempo estranho, e nós, seres porosos

De argila e sangue, tristes e jocosos,
Com lágrimas e risos ressentidos,
Sacudimos os guisos comovidos
Como sinal de luz sobre danosos

Desertos de aquiescência e de rotina.
Urge viver. O tempo nos apela
No fim de cada rua. Em cada esquina

Há um encontro fatal, o gesto incrível
Do pintor produzindo em nossa tela,
Algo de cotidiano e de terrível.

Paulo Bomfim

Tuesday, July 27, 2010

Sete Dicas de Gestão Empresarial


1. Um rapaz vai a uma farmácia e pergunta: Tem preservativo? Minha namorada me convidou para jantar esta noite na casa dela.
O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai. De imediato, volta, dizendo: Senhor, dê-me outro. A irmã da minha namorada é uma gostosona, vive cruzando as pernas na minha frente. Acho que também quer me dar... O homem dá o preservativo ao jovem.
Ele volta, dizendo: Quero outro. A mãe da minha namorada também é boa pra caramba. A velha vive se insinuando, deve ser mal comida, e como eu hoje vou jantar lá na casa delas...
Chega a hora da comida e o rapaz está sentado à mesa com a namorada ao lado, a mãe e a irmã à frente. Neste instante entra o pai da namorada . O rapaz baixa imediatamente a cabeça, une as mãos e começa a rezar:
- Senhor, abençoa estes alimentos, blá,blá.. Damos graças por estes alimentos...
Passa-se um minuto e o rapaz continua de cabeça baixa rezando: - Obrigado Senhor...blá,bla...
Passam-se cinco minutos : - Abençoa Senhor este pão... Todos se entreolham surpreendidos, e a namorada lhe diz ao ouvido: Meu amor, não sabia que eras tão religioso...
E eu não sabia que o teu pai era farmacêutico!

Conclusão: Não comente os planos estratégicos da empresa com desconhecidos, porque essa confidência pode destruir a sua própria organização.

2. Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando.
A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas..
Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira..
Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz: Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto.
Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:
- Quem era?
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?

Conclusão: Se você compartilha informações a tempo, pode prevenir exposições desnecessárias.


3. Um padre está dirigindo por uma estrada quando vê uma freira em pé, no acostamento.
Ele pára e oferece carona. A freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas.
O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar o acidente, ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129! O padre, sem graça, se desculpa:
- Desculpe Irmã, a carne é fraca.... E tira a mão da perna da freira.
Mais uma vez a freira diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129!
Chegando ao seu destino a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento.
Assim que chega à igreja o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz: "Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso".

Conclusão: Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, pode perder excelentes oportunidades.


4. Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo.
Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um Gênio. O Gênio diz:
- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro.' grita um dos funcionários... Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida ' ..
Pufff e ele foi ....
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de piñas coladas!
Puff e ele se foi ....
- Agora você - diz o gênio para o gerente..
- Eu quero aqueles dois palhaços de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!

Conclusão: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.

5. Na África, todas as manhãs, o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão, se quiser se manter vivo.
Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais do que o veadinho, se não quiser morrer de fome.

Conclusão: Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer, você tem que começar a correr...

6. Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada.
Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
- Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?
O corvo responde, sorrindo:
- Claro, porque não?
O coelho senta no chão embaixo da árvore, e relaxa.
De repente uma raposa aparece e come o coelho.

Conclusão: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo.

7. Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.
No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa, quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde:
- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!

Conclusão: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.