Sunday, March 19, 2006

Brokeback Mountain


Finalmente assisti Brokeback Mountain. É realmente um grande filme. Lentamente somos levados da perda da inocência na montanha (biblicamente representada pelo cordeiro sacrificado) e arrastados ao mundo de dor dos dois amantes incompreendidos.
Os dois acabam presos em vidas que não escolheram, mas vidas que se esperavam deles. Vidas impostas por séculos de cultura puritana. E Brokeback Mountain é um mundo à parte, separado do resto, um mundo onde os dois podem ser quem são.
Provavelmente milhares de outras histórias de amor parecidas já deixaram de acontecer. Amores entre homossexuais, ou entre raças diferentes, ou condições sociais diferentes, ou culturas diferentes, ou simplesmente entre duas pessoas presas a outros compromissos.
O fato é que felizes são os amantes incompreendidos que conseguiram nas suas vidas achar uma Brokeback Mountain, um lugar onde o desejo superasse as estúpidas regras que nos cercam, nem que fosse por uma vez.
Da minha parte acredito que um dia ninguém precisará mais de Brokeback Mountains. No dia em que todos finalmente perceberem que a única regra que importa é a de que todo homem e toda mulher são livres.

1 comment:

Cristiane said...

O amor é feito vento, feito gota de orvalho em folha de couve,(parafraseando Rubem alves) passageiro, efêmero, que no entanto deixa marcas profundas, não há laço, não há garrafa que o detenha,posto que o amor, que saberá do amor, senão quem ama???