Friday, May 08, 2009

O Trem do Pantanal


Almir Sater - Trem Do Pantanal

Lula lá está aqui em Campo Grande junto com a Pri do BBB para reinaugurar nesta sexta feira o Trem do Pantanal. Tirando a presença de Lula e da Pri do BBB, o resto da notícia é boa.
Eu fui menino em uma cidade, Araraquara, que cresceu à sombra da estrada de ferro Mogiana. Em seus anos dourados, os trens levavam o café do interior de São Paulo para a capital e para o porto de Santos. Até o time da cidade, a Associação Ferroviária de Esportes, teve suas origens na companhia ferroviária.
O café sumiu, a Ferroviária amargou mais de dez anos na série A3, o que é uma vergonha para um clube de 60 anos de idade, a estrada de ferro agora corta a cidade ao meio atrapalhando o trânsito, e os trens viraram sucata, o que é incompreensível em um país hoje à beira de um apagão logístico.
O trem do Pantanal funcionou por 81 anos ligando Bauru a Corumbá. Depois ficou parado por 18 anos. Durante esse tempo a ALL tomou conta do transporte de cargas, mas agora o trem de passageiros será reativado para atender aos eco-turistas. Entre Miranda e Corumbá a linha atravessa 80km de Pantanal. Por enquanto o trem vai de Campo Grande a Miranda em um percurso de 7 horas, parando para almoço em Aquidauana. No ano que vem ele chegará até Corumbá.
Eu me lembro de um programa de tv europeu que mostrava os caminhos de trem mais bonitos do continente. Espero que a moda pegue por aqui e que outras linhas históricas sejam restauradas.
Que tal um passeio diferente para fazer seu coração viajar sobre todos os trilhos da terra?

Estação Ferroviária de Miranda em 1914

2 comments:

bete said...

Tirando o Lula e a Pri a notícia é boa rsrs Fernando você é um barato.

Mas é notícia boa mesmo, quiçá venham mais.

Então você é de Araraquara? tinha essa curiosidade de saber de onde tu era...

Lelec said...

Olá,

É bem legal essa notícia, taí uma viagem de trem que eu gostaria de fazer.

Fiz várias vezes a viagem Belo Horizonte-Gov. Valadares (8 horas de viagem, contra 4.5 de carro) e a paisagem também muito bonita, com trechos de Mata Atlântica e belas tomadas sobre o vale do Rio Doce.

Contudo, cá entre nós, preferiria que o Brasil investisse em trens para passageiros convencionais, que precisam de linhas rápidas e que interligam cidades de médio a grande porte. Trem para turista não é investimento em infra-estrutura. Precisamos de trens como os europeus. Os argentinos estão construindo um TGV entre Buenos Aires e Córdoba. Deveríamos seguir o exemplo hermano.

Abraço,

Lelec