Sunday, February 26, 2006

Beslan



Munich me fez pensar em Beslan.
Eu estava me lembrando de um terrível, medonho, horrivelmente triste documentário exibido pela BBC, contando, pelo ponto de vista das crianças, a história do ataque terrorista àquela escola infantil em Setembro de 2004, um dos ataques mais covardes e atrozes da nossa era.
No documentário, algumas das crianças sobreviventes revisitam a escola, contando em detalhes os momentos de terror que passaram ali. Algumas falas das crianças:
“Eu estava escondido numa sala com meu pai até um terrorista achar a gente. O terrorista deu dois tiros na cabeça do meu pai e jogou ele pela janela, depois mandou eu ir até o ginásio”
“Uma mulher terrorista explodiu e os pedaços dos miolos dela vieram parar na minha cara. Achei meio nojento.”
“A gente estava com muita sede. Minha mãe me deu uma garrafa de xixi para beber mas eu não achei o gosto muito bom não...”
“Eu ficava pensando que o Harry Potter podia aparecer com sua capa invisível e me tirar para fora dali”
O horror, o medo, o calor , a sede, o cansaço físico e mental são ainda mais insuportáveis quando descritos por crianças. No cerco da escola e nas trocas de tiros, nas explosões das bombas e no desabamento do teto do ginásio que aconteceram causaram a morte de 344 civis, entre eles 172 crianças. Este é o número oficial. Estima-se que na verdade os mortos possam ser 3 vezes mais que isso. Outras tantas crianças estão aleijadas e traumatizadas para a vida toda.
No final, um dos meninos comenta “Meu sonho agora é entrar para o exército russo e matar todos os terroristas...”
Terrorismo contra civis inocentes é o mal absoluto. Não serve para nada, a não ser semear o mal, que voltará para vingar-se.

Vale a pena visitar www.beslanhope.org e principalmente dar uma olhada nos quadros pintados pelas crianças de Beslan. Ainda nascem flores do pior esterco.

1 comment:

Scot said...

Alma

É incrível, mas tinha apagado Beslan da minha memória.

Esse hamburguer de material noticioso que recebemos incessantemente está nos embrutecendo.

Todo cuidado é pouco.

Scot